terça-feira, 20 de abril de 2010

João e Julia

João queria conhecê-la do avesso, revirá-la por dentro.
Que vento és tu?
Que nuvem te desperta?
O que faz rir teu coração?

Para Julia, João era poesia, canto inesperado.

Julia era o mistério e João o vazio.

De qual flor vem o teu néctar?
Qual a cor do teu sentir?
E Julia sorria.
Gostava de sentir a respiração de João sobre seu peito.

João acariciou-lhe o rosto.
Fitaram-se...

e mergulharam um no outro.

O silêncio falava mais que a palavra.

No silêncio, um sonhava o outro.

2 comentários:

Raphael de Souza Araujo Lima disse...

Chorei.
Porque... este porque é melhor esconder nas reticências...

Beijos.

Sorri também!

Aum, Paz e Amém!

Adriana ♣* disse...

Lindo, lindooo!!!
Parabéns pelo blog...
Um grande abraço e tudo de bom,
Adriana